Publicado em Deixe um comentário

Futuro de Trump na política agora está nas mãos do Senado dos EUA

Compartilhar:

A Câmara dos Deputados dos EUA aprovou o segundo impeachment do presidente Donald Trump na quarta-feira (13/1) por 232 votos a 197. O detalhe mais significativo foi o de que 10 deputados republicanos (o mesmo partido do presidente) votaram a favor do impeachment. Agora, as atenções se voltam p…


Publicado em Deixe um comentário

Empregadores domésticos agora podem pagar DAE também por meio do Pix

Compartilhar:

Os empregadores domésticos já podem pagar a Guia do Documento de Arrecadação do Simples Doméstico (DAE) com o Pix, solução de pagamento instantâneo criada pelo Banco Central. A guia poderá ser paga em qualquer dia da semana e horário, por meio de qualquer banco habilitado no Pix.

“O pagamento será identificado no mesmo dia no eSocial e sistemas que fazem o controle da arrecadação federal. Trata-se de uma grande evolução na gestão da folha de pagamento dos empregados domésticos, uma vez que, até então, o pagamento do DAE somente poderia ser efetuado em dias úteis”, destacou a gerente de negócio da Divisão de Soluções de Arrecadação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Franciana Soares Barbosa Duarte.

Para ser pago com o Pix, o DAE deve ser emitido pelo empregador doméstico diretamente no sistema ou pelo aplicativo do eSocial disponível na App Store e Google Play. Ao emitir o documento, será gerado automaticamente um QR Code na guia de pagamento. Com o QR Code, o empregador pode efetuar o pagamento pelo Pix, não sendo necessária nenhuma outra ação adicional por parte do usuário.


Publicado em Deixe um comentário

Saud foi eleito prefeito de Taubaté Até agora foram apurados 99,83%

Compartilhar:

O candidato Saud (MDB) venceu a disputa pela prefeitura de Taubaté (SP) com 65% dos votos válidos. Loreny (Cidadania) ficou em segundo lugar, com 35% dos votos válidos.

Até agora foram apurados 99,83% das urnas. 

 

*/


Publicado em Deixe um comentário

Coluna – Qual o melhor time brasileiro exatamente agora?

Compartilhar:

Há muitos anos, e confesso não lembrar de quem foi, ouvi uma dica de um amigo radialista: “quando falar no ar, e perceber que errou, não corrija. Fale o certo depois e deixe a dúvida com o ouvinte.” Em resumo: jogue a culpa no ouvido de quem está do outro lado do radinho. Faz tempo isso, ainda existia o radinho de pilha, mas atualmente o que vemos, lemos e ouvimos, nos mais diversos meios de comunicação, não é simplesmente uma mudança de informação, mas de opinião. E no atual Campeonato Brasileiro, chega a ser curioso o que temos percebido.

Quem é o favorito ao título do Brasileirão? A cada rodada surge um. Se olharmos a tabela, é óbvio que não dá para cravar um palpite. O Atlético Mineiro tem 39 pontos, em 22 jogos; o Grêmio, em oitavo lugar, tem 34, com um jogo a menos – mesma pontuação do Santos, o sétimo, com 22 partidas disputadas. Entre eles estão Flamengo, São Paulo, Internacional, Fluminense e Palmeiras. É um intervalo de pontos muito pequeno para tanta gente, sem dúvida.

Mas a questão é: até semanas atrás, o São Paulo, do Fernando Diniz, era o time que tinha sido eliminado duas vezes no Morumbi, da Libertadores e da Sul-Americana, e que não chegaria a lugar algum. O Grêmio, do Renato Gaúcho, perdeu toda força com a saída do Everton e ia priorizar a Copa do Brasil, sem chances no Brasileirão. O Palmeiras, desde a saída do Luxemburgo, desceria uma ladeira. O Internacional, sem o Coudet, acabou. O Flamengo errou ao contratar o Ceni, pois o time perdeu toda a liga deixada pelo Jesus. E o Atlético Mineiro é irregular e não tem time para se manter no topo por muito tempo.

Sejamos sinceros. Tudo isso foi ouvido nas últimas semanas nas mesas de debates, nas rádios e TVs. Assim como que o São Paulo está inovando, que o Atlético do Sampaoli apresenta o melhor futebol; que o Renato renovou o Grêmio; que o Palmeiras é outro; que o Flamengo voltou a 2019 etc.

E por quê? Porque as opiniões mudam de acordo com o resultado. É como se o rádio tivesse se transferido para todos os canais de comunicação e o ouvinte que fique ligado, atento, para acompanhar o que cada um diz, a cada rodada, ou jogo – já que Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores/Sul-Americana se alternam a cada quatro dias.

Existe culpado? Não, apenas as coisas ficaram mais velozes, e as redes sociais tem uma parcela de participação nisso tudo que acontece. De lá vêm as cobranças imediatistas, e alguns programas simplesmente repercutem o que vem de lá, dando espaço à voz do torcedor.

Se isso é certo ou errado, reconheço que não sei. Mas me incomoda essa volatilidade. E ela me faz lembrar de um comentarista, radialista, muito famoso: Ruy Porto. Tive o prazer de apresentar a mesa redonda da TVE, nos anos 80, em que ele participava, ao lado de Luiz Mendes, Achilles Chirol, Sergio Noronha e outros mestres. Tudo ia bem, quando o Ruy lançava uma opinião totalmente contrária no ar, e a discussão esquentava. No fim, ele vinha falar comigo: “eu não concordo com o que disse, mas falei pra provocar o debate”.

Grande Ruy Porto. Um gênio que provocava polêmica e recebia likes e retuítes, desde os tempos do radinho de pilha.

 

*Sergio du Bocage é apresentador do programa No Mundo da Bola, da TV Brasil


Publicado em Deixe um comentário

Mello e Burin: Doutora, apanhei da minha mulher. E agora?

Compartilhar:

No dia a dia de uma delegacia especializada em violência doméstica, é relativamente recorrente que homens procurem a Polícia em busca de medidas protetivas. Com o advento da Lei Maria da Penha, o Direito brasileiro passou a se familiarizar com a ideia de “restraining order” que víamos nos filmes …