Publicado em Deixe um comentário

Candidaturas de nove prefeitos eleitos no Rio estão sub judice

Compartilhar:

O estado do Rio de Janeiro tem nove candidatos a prefeitos que venceram no primeiro e no segundo turnos das eleições, mas ainda não foram declarados eleitos porque suas candidaturas estão sub judice, aguardando decisão na Justiça Eleitoral. Esses municípios terão que esperar decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para conhecer os novos prefeitos.

O candidato Wladimir Garotinho (PSD) foi o mais votado no segundo turno das eleições em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense. Ele teve 52,4% dos votos válidos. 

Seus votos foram contabilizados, mas classificados como sub judice, pois há uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) indeferindo o registro da candidatura. O candidato apresentou recurso e aguarda análise do TSE. O imbróglio diz respeito ao seu vice, Frederico Paes (MDB), que não teria observado prazos para se desincompatibilizar da direção de um hospital.

O candidato do PSB Rubens Bomtempo obteve 55,18% dos votos em Petrópolis no segundo turno das eleições. Mas o resultado final do pleito na cidade da região serrana do estado do Rio segue, no entanto, em julgamento. Na última segunda-feira (23), o TRE-RJ indeferiu o registro da candidatura após condenação de Bomtempo por improbidade administrativa. 

Primeiro turno

No primeiro turno, sete candidatos a prefeito no estado do Rio venceram o pleito, mas aguardam julgamento do recurso pelo TSE. Um desses municípios é Duque de Caxias, na região metropolitana da capital, onde Washington Reis (MDB) ficou em primeiro lugar e ganharia em primeiro turno, se não estivesse com a candidatura sub judice

Outros vencedores do primeiro turno que ainda não podem se considerar eleitos são Christiane Cordeiro, do PP (Carapebus); Renato Cozzolino, do PP (Magé); Dayse Onofre, do PL (Paraíba do Sul); Jaime Figueiredo, do PROS (Silva Jardim); Dr. Silvestre, do PP (Varre-Sai); e Neto, do DEM (Volta Redonda).


Publicado em Deixe um comentário

Eleitos sub judice geram risco de eleições suplementares em 2021

Compartilhar:

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, o ministro Luís Roberto Barroso definiu a questão dos eleitos sub judice como “um problema” que já era previsto pela corte e foi reforçado pelos observadores da Organização dos Estados Americanos, que acompanharam as eleições municipais no Brasil. O obje…


Publicado em Deixe um comentário

Veja os prefeitos eleitos fora das capitais neste 2º turno

Compartilhar:

TSE Além das 18 capitais, outros 39 municípios elegeram prefeitos neste domingo (29/11) de segundo turno de eleições. Veja quem foi eleito pelo interior do país. Anápolis (GO): Roberto Naves (PP) Bauru (SP): Suéllen Rosim (PDT) Blumenau (SC) Mário Hildebrandt (Podemos) Campinas (SP):…


Publicado em Deixe um comentário

Marcelo Aith: Como ficam os prefeitos eleitos sub judice

Compartilhar:

Nas eleições do último dia 15, grande parte dos municípios do Brasil definiu seus futuros prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, mas em alguns deles os eleitos estão a enfrentar batalhas judiciais para a confirmação das respectivas candidaturas, com o afastamento de eventuais inelegibilidades. …


Publicado em Deixe um comentário

Vereadores negros são 6% do total de eleitos; brancos são 53%

Compartilhar:

No último domingo (15) foram eleitos 57.608 vereadores. Apesar do número de candidatos negros eleitos ter aumentado, com 3.569 (6,16%), ainda é muito inferior aos 31.053 (53,56%) brancos eleitos. O número vereadores eleitos que se declararam da cor parda é de 22.363. Também foram eleitos vereadores que se declararam da cor amarela (233) e indígenas (182).

Outro ponto de desigualdade está no gênero. Oitenta e quatro por cento dos vereadores eleitos são homens e 16% são mulheres.

Quando o assunto é escolaridade, o número de vereadores eleitos com ensino médio completo é maioria, com 21.678. Em seguida, aparecem aqueles com ensino superior completo, 17.716. Na outra ponta da estatística, 1.083 vereadores eleitos declararam que apenas “leem e escrevem”.

Profissão

A maioria dos vereadores eleitos declarou ter como profissão o próprio trabalho na Câmara Municipal. Foram 12.403 eleitos (21,39%) que declararam “vereador” como profissão. Outras profissões bastante citadas foram servidor público municipal (12,08%), agricultor (9,20%), empresário (6,10%) e comerciante (4,88%).

Das dezenas de profissões declaradas pelos vereadores eleitos, muitas foram citadas por apenas uma pessoa. Dentre elas, coreógrafo e bailarino, carvoeiro, comissário de bordo, ourives e, curiosamente, ministro de estado.

Partidos

O MDB foi o campeão de eleições para vereador. O partido emplacou 7.325 candidatos nas câmaras municipais, 12,63% do total. Outros partidos com grande número de vereadores foram PP (6.342 / 10,94%), PSD (5678 / 9,79%), PSDB (4371 / 7,54%) e DEM (4338 / 7,48%).

O PT, um dos partidos mais tradicionais do país, elegeu 2.660 vereadores (4,59%). Já o PSL emplacou 1.203 vereadores (2,07%).

Os partidos que elegeram menos vereadores foram o PSOL (88 / 0,15%), PMB (46 / 0,08%) e Novo (29 / 0,05%).